As crianças são capazes de aprender algo novo a partir dos 6 meses de idade e conseguem verbalizar essa novidade a partir dos 2 anos, quando a fase oral já está mais desenvolvida. Por dentro das brincadeiras infantis se aprendem conceitos, formas e cores, matemática e até mesmo astronomia.

Aprender diz respeito à mudança de comportamento frente a novas situações. É um processo neuronal complexo que envolve sinapses químicas, gasto de energia e fortalece as conexões do cérebro. O processo funcionaria basicamente com a entrada de novas informações, consolidação dos conhecimentos adquiridos e recuperação nos contextos apropriados.

Para entender melhor, suponhamos que a criança esteja aprendendo a ler. Em todos os lugares por onde passar, qualquer tipo de formação de letras será instigante para sua curiosidade e aprendizado.

Esse mesmo processo acontece quando os pequenos estão brincando. Caberá aos pais estimularem os filhos considerando os objetivos das brincadeiras, a capacidade cognitiva e a faixa etária da criança.

Quer saber como se faz para aprender brincando? Então leia nosso post e brinque mais com seu filho!

Estimule a criatividade do seu filho

A criatividade é uma virtude que deve ser explorada desde cedo. Por isso, é fundamental associar objetos e coisas para construir brinquedos e adaptações pitorescas dos personagens infantis.

Utilizando materiais reciclados tais como potes de iogurtes, caixas de ovos, garrafas PET, latas de massa de tomate, rolos de papel higiênico, caixas de papelão e tantos outros potenciais recursos, é possível elaborar brinquedos no melhor sentido “faça você mesmo”.

Essas brincadeiras desenvolvem a noção de espaço, a percepção da textura e tamanho dos materiais, a capacidade motora fina e a imaginação, para criarem cenários férteis e frutíferos sem sair de casa.

A construção de objetos a partir de materiais reciclados é recomendável a partir de 1 ano de idade, devido ao maior desenvolvimento da chamada pegada de pinça. O uso de tintas laváveis deve ser supervisionado por um adulto devido à possibilidade de causar irritações na pele

Construa brinquedos divertidos

Em uma brincadeira é possível estimular áreas cerebrais distintas. Quanto mais conexões neurais, melhor será a capacidade de entendimento da diversão. As atividades infantis que mais exploram o planejamento e formação cerebral são os blocos de montar.

Outra brincadeira bastante divertida é a construção do robô equilibrista, prática lúdica que envolve desenho, colagens e conceitos de magnetismo devido à colagem de moedas nas extremidades do boneco.

Após a construção do robô, é interessante desafiar a criança com perguntas sobre a função das duas moedas nas extremidades, demonstrar como os opostos magnéticos se atraem e explicar sua funcionalidade na sua vida cotidiana.

Devido à inclusão de moedas nas brincadeiras, elas são recomendáveis para crianças acima de 4 anos e com supervisão dos responsáveis.

Essas situações abrem precedentes para novas formulações, interpretações de outros fenômenos e curiosidade para os fatos cotidianos. Aproveite a oportunidade e faça comparações didáticas a respeito do assunto!

Adquira brinquedos eletrônicos

Por mais controversa que seja essa informação, é importante para a criança ter contato com brinquedos eletrônicos, que são ótimas fontes para o aprendizado. Além dos estímulos visuais, dependendo da idade dos pequenos eles também estimulam a motricidade, a memória auditiva e o raciocínio lógico.

O limite para utilizar os brinquedos eletrônicos e tecnológicos deve ser estipulado pelos pais. A alternância dos brinquedos deve ser pensada de forma que a criança não utilize excessivamente a tecnologia.

Também é importante procurar vídeos educativos na internet no intuito de despertar sentidos pouco explorados. Conteúdos que mostram as partes do corpo, os tipos de cores, o mundo dos bichos e outros temas conforme o interesse da criança podem ser bastante positivos.

Os CDs e DVDs que são vendidos em lojas especializadas já vêm com a idade recomendada. Para os vídeos educativos encontrados na web, obtenha informações com outras mães ou observe sua criança. Caso perceba desinteresse, mude de contexto.

Faça jogos com pequenos detritos

Seu filho deve entender que é possível fazer qualquer brinquedo divertido com os recursos que estão disponíveis no momento. Fazer desenhos na praça com cacos de telhas, jogar dama com pedras ou fazer casinhas com gravetos são ótimas maneiras de ensinar esses fundamentos.

Procure perguntar para ele: “ o que podemos fazer com esse graveto?” e vá supervisionando sua construção.

Todas essas propostas desenvolvem a habilidade de planejamento, resgate de conhecimentos adquiridos, análise da situação e visualização do projeto finalizado. A sensação de sucesso pelo projeto ainda libera neurotransmissores excitatórios que promovem prazer e euforia.

É importante ressaltar que a frustração também faz parte do desenvolvimento mental e cerebral. Por isso, analise junto com as crianças as emoções sentidas e proponha uma avaliação para as medidas que não deram certo.

Essas atividades são recomendadas a partir dos 6 meses, sempre com o diálogo dos pais e propondo ideais aos pequenos.

Invista em teatro de fantoches

Teatro de fantoches é uma ótima oportunidade para todos se divertirem em família e aprenderem sobre comportamentos, virtudes e reflexões importantes. Se você não tiver tempo ou destreza para montar os bonequinhos, adquira-os em lojas especializadas.

Caso prefira elaborar os personagens ou fabricar conforme o desejo das crianças, procure sites específicos sobre esse assunto e compre os artefatos necessários. Construa aos poucos e programa-se para contar a história para toda a família.

O teatro de fantoches é uma experiência única para a criança, porque ela se concentra no contexto e poderá criar novas aventuras, liberando assim sua imaginação.

Todas essas ferramentas geram a chamada plasticidade neural, ou seja, maior número de sinapses nervosas e aumento da árvore dendrítica no cérebro. Isso significa que os pequenos entenderão mais facilmente as informações obtidas e serão capazes de formular novas hipótese a partir de um certo contexto.

Aprender brincando é uma ferramenta pedagógica interessante e divertida para todos. Para tanto, é preciso escolher adequadamente o tipo de brincadeira, envolver a criança nos preparativos e estimulá-la sem pressão. A curiosidade e a criatividade são fundamentos que se consolidam com o tempo, e a dedicação dos pais é um fator crucial para o aprendizado.

E você, já diversificou as brincadeiras com seus filhos? Conhece os tipos de brinquedos mais adequados para a idade dele? Não deixe de conhecer a variedade de indicações de brinquedos na nossa loja virtual!